sexta-feira, 26 de junho de 2009

O dia dos Michel/Michael

Em 25 de junho de 1984, há 25 anos atrás, morria um dos maiores pensadores, tanto da filisofia, da psicologia e por que não dizer da psiquiatria. Michel Foucault desamarrou muitos nós que ainda estavam em discussão. A homossexualidade e todo o discurso do sexo, pode ser considerado, ou pelo menos eu considero, como as maiores contribuições para a humanidade. Quem sabe, gerado por suas próprias indagações que na juventude o fez tentar suicídio.

É conhecido por suas obras relacionadas a discussão do poder e do discurso enquanto agente de poder ativo do ser humano. Revoluciona, por meio das teorias discursivas, aquilo que outros pensadores como Lacan vinham trabalhando. Deixa claro que somos seres culturais, influenciados não somente por nossos desejos e nossas perversões, mas por tudo aquilo que nos rodeia. Combateu ainda a idéia de que apenas a herança genética, ou o fator biológico marcariam o ser humano.

Sua morte se deu por complicações do vírus HIV, numa época de ápice da doença.

Não quero aqui, de forma alguma comparar, ou fazer qualquer aluzão que congrege essas duas personalidades geniais da humanidade. A primeira que já relatamos, Michel Foucault, e a segunda, que deixa este nosso mundo também no dia 25 de junho deste ano (ontem). Michael Jackson, cantor, compositor, ídolo pop, o que revolucionou toda uma cultura nos anos 80. Os clipes musicais que conhecemos são pertencentes ao seu legado, entre muitas outras transformações e revoluções dentro do mundo artístico. Polêmico, doente, esquesito.... muitas e muitas adjetivações que o definiram nos seus 50 anos de brilhantismo na Terra.

Deixo para vocês um pouco da história desses dois caras, um que é meu mestre enquanto pensador e o outro, que mesmo não sendo fã, não posso deixar de lado a sua relevância dentro do mundo artístico e cultural da contemporaneidade.

Sobre Michel Foucault - no UOL; na G News

Sobre Michael Jackson - vídeo da globo (abaixo)

5 comentários:

JAMES PIZARRO disse...

A hipocrisia agora vai se manifestar. E quem só criticou o astro pop em vida, vai endeusá-lo agora. Faz parte da nossa cultura o elogio póstumo. E a sodomia em vida...rsss

Abraço fraterno

James Pizarro

Julio Marin disse...

Não quis discutir essa situação... infelizmente é o que estou vendo desde que liguei a televisão a noite... o endeusamento, sendo que ele sempre mereceu isso em vida!!

Airton disse...

cara esse vai fazer falta...
mta gente criticava mas para musik ele foi incrivel

revolucionou com trhiller

passa la nu blog..hj falei de personagens de cinema insolentes

http://publicandobr.blogspot.com

Jhonatan Willliam disse...

Michael Jackson?
ícone, o mais legal da sua morte agora é que estão lembrando do astro, o cantor,o artista!

pq ultimamente viamos o escandaloso Michael

ele foi um grande artista
e subiu por talento próprio!

Jhonatan William disse...

eai...
valew por virar seguidor lá!
brigadão!

Olhos atentos